Geral

Grupo de Trabalho do Turismo Religioso elege coordenadores e alinha ações para 2022

Grupo de trabalho foi instituído em 2020 para fomentar os roteiros religiosos no Paraná, criando uma política de incentivo ao segmento, que é o terceiro que mais recebe visitantes no Estado.

Representantes do Grupo de Trabalho do Turismo Religioso se reuniram nesta segunda-feira (14) para a eleição dos coordenadores do colegiado e das câmaras temáticas para o biênio 2022-2023. O encontro foi de forma híbrida, com a participação de pessoas de diversas cidades paranaenses que têm no segmento a oportunidade não apenas de renovar a fé, como também de incentivar o turismo e a economia regionais.

O grupo de trabalho foi instituído em 2020 para promover estudos e fomentar os roteiros religiosos no Paraná, criando uma política de incentivo ao segmento, que é o terceiro que mais recebe visitantes no Estado. São 299 atrativos religiosos mapeados pelo grupo de trabalho, que envolvem roteiros das quatro matrizes de tradições religiosas: Oriental, Indígena, Africana e Ocidental.

A maior parte dos membros do colegiado, que conta com representantes do Governo do Estado, de entidades turísticas e religiosas, foi reconduzida aos cargos de coordenação. Eliseu Rocha, representante da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf), se mantém como coordenador-geral do grupo de trabalho.

Nas coordenações das câmaras de Planejamento; de Capacitação; Estruturação de Destinos; e de Produtos e Roteiros foram escolhidos, respectivamente: Alessandra de Paula Xavier (Paraná Turismo); Giovanni Bagatini (Fecomércio), Wellington Bergamaschi (Atunorpi), e Pedro Kempe (Abav), com suplência de Francisco Izidoro (secretário municipal de Administração e Turismo de Lunardelli, Vale do Ivaí).

O coordenador-geral explica que o Grupo de Trabalho está se consolidando com a ampliação das rotas e atrativos religiosos no Paraná.

“Quando o grupo foi criado, tínhamos apenas uma rota, e agora chegamos a todo o Estado e com vários roteiros que se apresentam dentro do modelo que discutimos no grupo”, disse Rocha.

“Nosso desafio é unir todo o Paraná em torno do mesmo propósito, para que os municípios que já têm um atrativo consolidado possam compartilhar a experiência, o progresso e tudo aquilo que deu certo com aqueles que estão iniciando”, afirmou o representante da Sejuf.

Entre os atrativos do turismo religioso paranaense estão templos, santuários, mesquitas, igrejas e roteiros que reúnem diversos locais de devoção, além dos festejos e celebrações que fazem parte do calendário turístico estadual e recebem milhares de romeiros todos os anos.

Um exemplo é a Rota do Rosário, um percurso de mais de 600 quilômetros que abrange 17 municípios dos Campos Gerais e do Norte Pioneiro, passando por 16 santuários, além de igrejas, capelas e patrimônios culturais, históricos e arquitetônicos das duas regiões. Também se destacam a Rota da Medalha Milagrosa, entre Irati e Prudentópolis, e o recém-criado Caminho das Santas Chagas, no Vale do Ivaí.

Integrante da Rota do Rosário, o santuário de São Miguel Arcanjo, em Bandeirantes, recebe milhares de peregrinos todos os meses. O número de fiéis aumenta muito em setembro, quando cerca de 30 mil pessoas participam das comemorações religiosas, o que influencia no turismo das cidades do entorno, como Itambaracá e Cambará.

“O incentivo ao turismo religioso tem um impacto muito grande nos municípios, principalmente nos menores, que têm necessidade de ampliar a geração de empregos e fazer com que as pessoas não se mudem para outros locais”, ressaltou a prefeita de Itambaracá, Mônica Zambon.

“Somos vizinhos de Bandeirantes, ficamos ao lado do santuário, e recebemos peregrinos vindos de São Paulo. Iniciativas que fomentam esses roteiros e facilitam a recepção dos turistas são muito importantes para o nosso crescimento”.

Além das denominações cristãs, também há atrativos e festejos de outras religiões. Em Foz do Iguaçu (Oeste), por exemplo, é possível conciliar os roteiros turísticos com uma visita à Mesquita Omar Ibn Al-Khattab, que recebe turistas com horários agendados, ou ao Templo Budista Chen Tien.

Coordenado pela Paraná Turismo, o GT do Turismo Religioso conta com a participação das secretarias de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo; da Justiça, Família e Trabalho; da Comunicação Social e da Cultura; da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio-PR); Instância de Governadoria Regional; Conferência Nacional dos Bispos do Brasil; Associação Inter-religiosa de Educação (Assintec); Associação Brasileira de Agências de Viagem; e de representantes de rotas turísticas e municípios com atrativos religiosos.

Por AENPR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *